01/03/2015

ENTRE A INTENSIDADE E O SILÊNCIO DA ALMA, CONHECER HENRIQUE LEVY

Henrique Levy, fotogr. no perfil do Facebook , 5.04.2015

A vida


Henrique José de Aguiar Fonte Levy nasceu em Lisboa, a 6.06.1960.

É um poeta, romancista e professor.



Licenciou-se na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e tornou-se Mestre em Estudos Portugueses com uma tese sobre Florbela Espanca, na Universidade Aberta (1999).

Iniciou a sua atividade profissional no Oriente e é professor do ensino oficial em Portugal.

Peregrinou por vários países da África Austral, da Ásia e da Europa.


Estreou-se literariamente com o livro de poesia Mãos Navegadas (1999), inteiramente dedicado à poetisa calipolense Florbela Espanca [1894-1930] e configurando, entre outras, a temática do «amor vivo», tangível e feito descoberta ou navegação; a que se seguiu o volume Intensidades (2001), com tradução italiana, e ousando outros rumos da arte de amar. Mais recentemente, o título O silêncio das almas, prefaciado por Urbano Tavares Rodrigues, singulariza-se por dar expressão ao «erotismo religioso cristão» (Rui Rocha). Uma colectânea eivada na tradição de Mariana Alcoforado, Frei António das Chagas, Florbela Espanca e quiçá José Régio, intertextualidades a descobrir e a (não) confirmar pelo leitor atento.


É ainda autor dos romances Cisne de África (2009)  Praia Lisboa (2010), ambos configurando a importância do Amor nas nossas vidas. A primeira narrativa, localizada em território moçambicano, retrata através de uma protagonista feminina «a intensidade dos conflitos emocionais» em tempo de guerra; por seu lado, o segundo título sugere já a dualidade espacial do romance, repartindo a fuga à solidão dos seus seres comunicantes ora pela insularidade da cidade da Praia, em Cabo Verde, ora pela capital portuguesa, espaço mais aberto às possibilidades do amor.




A obra


  • Florbela Espanca: leituras – tese de mestrado em Estudos Portugueses. Lisboa: Universidade Aberta, 1999.
  • Mãos navegadas, poesia. Odivelas : Europress, 1999.
  • Intensidades, poesia; il. Francisco Casanova. Odivelas: Europress, 2001.
  • Cisne de África, romance. Lisboa: Livros de Seda, 2009. 
  • Praia Lisboa, romance; capa com pintura de João Figueiredo: “Psycho impossibility”. Lisboa: Livros de Seda, 2010. – 
  • O silêncio das almas, poesia; pref. de Urbano Tavares Rodrigues; capa de Nuno Ricardo Ascenção. Macau: Criarinovar, 2015.
trad. italiana de Mãos navegadas
Conheça um dos poemas 
do livro de estreia sob o signo de Florbela aqui.


Algumas referências



Em jovem, com o gatinho Aly  (in Facebook)


4 comentários:

  1. Estou muito motivada em conhecer a obra!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mesmo. A capa do último livro de poesia, "O silêncio das almas", com ressonâncias florbelianas, também me intrigou e é um estímulo à leitura. Talvez seja possível publicar aqui mais um ou dois poemas, com conhecimento do H Levy.

      Eliminar
  2. Excelente postagem. E o Henrique bem merece.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, João. Alguns temas ou personagens são inesperados e sempre sedutores. Agora que reinício a leitura da sua obra - a um ritmo calmo e de prazer - espero depois melhorar o "verbete" ou redigir outros breves textos, impressões de leitura. Promessas! Abraço.

      Eliminar